05 de dezembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
11/03/20 às 9h26 - Atualizado em 11/03/20 às 9h32

Vigilância Ambiental visita imóvies e auxilia moradores na identificação de criadouros do mosquito

COMPARTILHAR

Infestação de mosquitos no Park Way

Nesta terça-feira (10/03), recebemos a visita da equipe da Vigilância Ambiental em Saúde/ SES-DF para falar sobre as ações que já estão sendo tomadas no combate à dengue no Park Way. 

Você sabia que a Vigilância Ambiental em Saúde/SES-DF monitora a infestação do mosquito Aedes aegypti no Park Way? Os agentes de vigilância rotineiramente visitam os imóveis para auxiliar os moradores na identificação de criadouros do mosquito, coletar larvas e aplicar inseticida, caso seja necessário.

No mês de fevereiro, foi realizado o LIRAa (Levantamento Rápido de Índices para o Aedes aegypti), que é uma pesquisa de larvas especial realizada a cada 3 meses em imóveis sorteados aleatoriamente por um programa de computador. A ideia é apontar as áreas prioritárias.

 A coleta de larvas nos imóveis amostrados permite avaliar o grau de infestação da cidade por meio de indicadores. São eles: IIP – Índice de Infestação Predial e IB – Índice de Breteau. O primeiro revela a porcentagem de casas positivas, ou seja, com a presença de larvas do mosquito Aedes aegypti. Já o IB, informa a média de recipientes com larvas para cada 100 imóveis pesquisados. Adicionalmente, o levantamento aponta qual recipiente mais utilizado pelo mosquito para a colocação de ovos.

Conforme os valores alcançados do IIP, cada localidade é considerada como Satisfatório, Alerta ou Risco de Surto de acordo com o quadro abaixo.

 

Tabela 1 – Classificação do Índice de Infestação Predial (IIP) por Aedes aegypti.

IIP (%)

Classificação

Cor

<1

Satisfatório

Verde

1-3,9

Alerta

Amarelo

>3,9

Risco de surto

Vermelho


Veja os resultados abaixo:

Tabela 2 – Resultado do Levantamento Rápido de Índices para o Aedes aegypti (LIRAa) realizado em fevereiro de 2020.

Região Administrativa

Estrato*/ Endereço

IIP (%)

IB

Depósito predominante

Park Way

1 (Quadras de 06 a 29; Córrego da Onça e Vargem Bonita)

0

0

Park Way

2 (Quadras de 01 a 05; SIBS – Setor de Indústrias Bernardo Saião)

5,5

7,3

Depósitos fixos: Calhas, ralos, sanitários (em desuso), tanques em obras/borracharias, piscinas e fontes ornamentais, cacos de vidros em muros, canaleta, caixa de inspeção.

 

*O estrato corresponde a um aglomerado de casas entre 9 e 12 mil imóveis.

Os resultados mostram que o estrato 2 apresenta risco de transmissão de doenças. Nessas localidades, é importante que a população redobre a atenção para a formação de criadouros do mosquito em depósitos fixos (Veja a tabela 2). No estrato 1, apesar dos indicadores favoráveis, o cuidado deve ser permanente.

Não deixe de vistoriar semanalmente sua casa. Converse com seus vizinhos. Mobilize-se! Fique atento à presença de imóveis em obras ou abandonados. Informe a Vigilância Ambiental em Saúde do Núcleo Bandeirante pelo e-mail nurvaband@gmail.com.

Fonte: Vigilância Ambiental em Saúde/SES-DF

 

 

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros